No Avião com Crianças – 5 Dicas


Qualquer tipo de viagem pode se tornar um desafio se você estiver com crianças. Querendo ou não a lista de necessidades de uma criança é bem maior do que a de um adulto. Mesmo quando o trajeto é feito de carro… a viagem pode se tornar um pesadelo, principalmente se elas estiverem acordadas. Por isso, alguns pais preferem dirigir na madrugada… quando elas estão dormindo.

E quando se trata de viagens aéreas?

No avião a coisa complica… quem já não ficou irritado com crianças chorando durante o vôo? O pior acontece quando essa ou essas crianças são suas… hehe. E são vários os motivos que as incomodam durante o vôo… a turbulência, a decolagem, a aterrissagem, o desconforto de ficar horas sentadas, etc.

Mas… graças à tecnologia, hoje os pais conseguem distrair melhor seus filhos e além disso existem alguns métodos testados e comprovados que ajudam a entreter e acalmar as crianças no avião mesmo sem o uso da tecnologia.

Segue a lista:

• Tablet (iPad ou qualquer outro modelo) – Antes de partir encha o tablet com jogos, filmes, desenhos animados, Galinha Pintadinha… tudo o que ajudar pequenas mentes e mãos ocupadas. Não se esqueça dos fones de ouvidos (mantêm eles mais focados no entretenimento e o barulho não incomoda os demais passageiros) e carregue bem a bateria antes de embarcar.

• Música – Tablets, iPods, iTouchs, etc… podem fazer maravilhas com as crianças. Coloque as músicas que elas mais gostam (em modo randômico se possível). Assim elas relaxam e se distraem. Novamente, que elas usem fones… ninguém merece ouvir Patati Patatá durante o vôo… hehe.

• Atividades – Daí vocês perguntam? E se as baterias dos eletrônicos acabarem? Não se desesperem… existem outras atividades que irão deixar a molecada entretida… revistas de colorir, jogos mentais (tipo STOP), histórias em quadrinhos… às vezes um papel e uma caneta já resolvem.

• Snacks – As companhias aéreas estão cada vez mais “miseráveis” em relação aos snacks, principalmente se vc for da classe econômica. A solução é levar as suas próprias guloseimas… de preferência as que seus filhos mais gostam. Se possível evitar alimentos que fazem muita meleca e sujeira.

• Itens de Conforto – Traga de casa itens que suas crianças estão familiarizadas… como um bicho de pelúcia, aquele cobertor que a criança não larga por nada na hora de dormir, o Ben 10, etc. A criança se sentirá “mais em casa” com essas coisas.

Voar com crianças nunca é o ideal… mas é um “mal” necessário quando o assunto é férias. Enquanto não inventarem o teletransporte… o jeito é encarar.

25 Destinos Para Aventureiros Nível “Hardcore”

É como a gente sempre diz… pq ir à Disney se vc pode se aventurar por esse mundão a fora?

Exploração da Tundra (Ártico Canadense) 

O Ártico Canadense é muito desafiador, mesmo para os mais experientes exploradores. Mas existe uma empresa canadense que está oferecendo a chance de ver esta encantadora região, sem o risco de você perder os dedos dos pés por congelamento.

404-934x

Escalar as Tianzi Mountains (China)

Estas altas e estreitas formações montanhosas são tão estranhas que foram até usadas no filme de James Cameron – Avatar. Formadas há cerca de 380 milhões anos, o fluxo da água destruiu o arenito em sua volta, deixando apenas os pilares de pedra. Algumas dessas colunas estão a mais de 1.200 metros acima do nível do mar e os poucos alpinistas que se arriscam a subir nestas magníficas rochas, se recusam a escalar outras montanhas.

Kenai Fjords National Park (Alaska)

Esta região montanhosa está sujeita a monumentais 10 metros de neve por ano e é o lar de mais de 40 geleiras. Kenai exige força física e mental daqueles que ousam enfrentar sua paisagem e clima.

Explore o Desconhecido (Papua Nova Guinea)

Papua Nova Guiné é um dos países menos explorados do mundo.Incontáveis tribos e animais ​​permanecem desconhecidos para o nosso mundo, esperando por você para descobrí-los em uma das últimas fronteiras do planeta.

Salar Uyuni (Bolívia)

Durante a estação chuvosa, a maior planície de sal do mundo torna-se maior espelho do mundo, cobrindo mais ou menos 6.500 quilômetros quadrados. No centro das salinas está a Isla Incahuasi, um afloramento de terra montanhosa que oferece um ótimo ponto de apoio.

Lava Kayaking (Big Island – Hawaii)

A erupção do vulcão Kilauea começou em 1983, tornando-se uma das erupções mais longas da história e com a formação de mais de 120 quilômetros quadrados de área no processo (a ilha está crescendo). Agora… aventureiros tem permissão de andar de caiaque em torno do lugar, apenas a poucos metros de onde mais de 1.000°C de lava encontra o Oceano Pacífico.

Aprendendo os Caminhos Ninja (Japão)

Os ninjas foram uma espécie de “agentes secretos” do Japão feudal. Com o tempo… seus ensinamentos foram quase totalmente perdidos, mas em Tóquio ainda existe um dos poucos remanescentes para quem estiver disposto a enfrentar este desafio.

Mammoth Cave National Park (Kentucky – USA)

De longe… o maior sistema de cavernas do mundo. Mammoth Cave tem mais de 650 quilômetros de corredores interligados para explorar. Também leva o título de “Labirinto de Calcário” e em cada esquina pode ter um novo abismo inexplorado.

Trecking Através das Terras Tribais (Baliem Valley – Papua Nova Guinea)

Nesta região existe uma tribo chamada Dani que foi descoberta pelo resto do mundo em 1938. Eles habitam o Baliem Valley, uma belíssima parte da Papua Ocidental, que ainda permanece intocada por forasteiros. Todos os anos, a tribo convida alguns sortudos para conhecerem suas terras, aldeias e a selva junto deles.

 Viver Com o Povo Aquático “Moken” (Arquipélago de Mergui – Myamar)

O arquipélago Mergui é uma série de mais de 800 ilhotas ao sul de Myamar. As ilhotas e suas águas são as casas dos Moken, que vivem grande parte de sua vida a bordo de barcos construídos à mão. Sobrevivem pela pesca (utilizando lanças e redes). Viver ao lado desse povo singular é uma experiência única de aprender como sua cultura sobreviveu por todos esses séculos.

Volcano-boarding (Leon – Nicarágua)

Leon é uma pequena cidade que fica à sombra do enorme vulcão Cerro Negro. As pessoas locais criaram um dos esportes mais extremos conhecidos pelo homem. Caminham até o topo deste gigante com uma prancha nas costas e em seguida, deslizam para dentro do vulcão ativo a 80 km por hora.

 Genghis Khan Warrior Training  (Mongólia)

As tribos da Mongólia são nômades desde os tempos do Império Mongol, um dos maiores da história. Nos campos desta terra, você poderá aprender as mesmas batalhas e habilidades de sobrevivência que os guerreiros, que conquistaram toda a Ásia aprendeu a mais de 800 anos.

Navegar Pelo Rio Amazonas (parte Peruana) 

Viajar pela Amazônia e conhecer o trabalho de cientistas e o povo indígena “Cocama” é uma experiência que te vai ajudar a compreender o delicado sistema selvagem da incrível Reserva Nacional Pacaya-Samiria.

Mergulhar Entre Dois Continentes (Islândia)

O Lago Thingvallavatn fica no limite tectônico entre a América do Norte e a Europa. Mergulhadores de sorte e resistentes às águas geladas podem nadar entre as placas tectônicas dos dois continentes, que estão tentando afastar-se umas das outras dois centímetros a cada ano.

Walking Safari Com o Povo Maasai (Tanzânia)

Não há melhor maneira de explorar as paisagens africanas do que a pé… e não existem melhores guias do que os Maasai, que habitam o lugar há gerações. Esta é uma oportunidade única para ver leões, búfalos, elefantes, girafas, etc… sem se limitar a uma “lata de metal”.

 Blue Hole Diving (Belize)

O assustador Blue Hole é na verdade um imenso sistema de cavernas que se formou quando a área não era coberta pela água cristalina que, desde então, inundou a caverna. Agora… as profundezas desde local se tornaram um “playground” para mergulhadores e exploradores, dando uma experiência que você não pode obter em outro lugar.

 Migração das Renas dos Saami (Círculo Ártico – Noruega) 

Uma vez ao ano… por mais de 4.000 anos, o povo Saami migra sua multidão de renas para lugares com o clima um pouco mais quente. Recentemente, eles começaram a convidar aqueles que estão fora de sua comunidade para ajudá-los durante a migração. São cinco árduos dias para aqueles que desejam participar desta maravilhosa aventura.

309-934

Descendo Dentro De Um Vulcão Adormecido (Islândia)

A enorme e feroz câmara de magma do Vulcão Þríhnúkagigur está a mais de 120 metros abaixo do solo. Os cientistas que estudam o vulcão criaram um elevador que desce para dentro da câmara… e um mês a cada ano, eles permitem que alguns poucos aventureiros se juntem a eles em uma experiência que não pode ser encontrada em outro lugar na Terra.

Cruzeiro Quebra-Gelo no Pólo Norte (Oceano Ártico)

O Pólo Norte está localizado no meio do Oceano Ártico em meio a águas quase permanentemente cobertas por gelo. Os navios “quebra-gelo” movidos por energia nuclear são as únicas coisas capazes de cortar através do gelo espesso. Esta expedição cheia de adrenalina também são para poucos sortudos.

O Caminho Mais Perigoso Do Mundo (Málaga – Espanha) 

Conhecido com El Caminito del Rey, a passagem que foi construída em 1905… desde então, foi abandonada, mas continua em uso por aventureiros tornando-se uma das caminhadas mais perigosas e emocionantes.

Escalar Uma Montanha Por Uma Xícara De Chá (China)

Este aterrorizante trajeto te leva até o Monte Huashan (mais de 2150 metros de altura). E a razão desta peregrinação bem é simples… no topo existe uma casa de chá, que “supostamente”, tem um dos melhores chás no mundo. Beleza.

Torne-Se Um Monge Budista Por Um Mês (Himalaia – Tibet)

Esta aventura irá levá-lo através de paisagens de tirar o fôlego no Himalaia… onde você vai ficar em mosteiros escondidos nas montanhas. Experimente o dia-a-dia de uma antiga cultura e imerse espiritualmente no budismo participando de atividades como uma peregrinação de 3 dias para Dharamsala.

Atravessar O Saara Com Os Comerciantes De Sal (Deserto do Saara)

O Saara cobre mais de 3,5 milhões de milhas quadradas e é um dos ambientes mais inóspitos do planeta. Apesar disso, os comerciantes de sal tuaregues continuaram a transportar os seus produtos de Taoudenni para Timbuktu durante séculos. A travessia de 22 dias é uma experiência p/ resto da vida e também um verdadeiro teste de determinação.

Rafting no Rio Kali Gandaki (Nepal) 

O rio Kali Gandaki é tão isolado que apenas um punhado de pessoas terão a oportunidade de realizar esta aventura incrível. Este rio selvagem permite a prática do rafting. A emoção de “conquistar” este rio vai ficar com você para o resto de sua vida.

Gorilla Safari (Uganda e Ruanda) 

Nas magníficas montanhas enevoadas de Ruanda e Uganda se encontra um dos últimos refúgios na Terra em que os gorilas ainda vivem em seu habitat. Nesta densa vegetação, você poderá encontrar quatro dos cinco “grandes símios” – gorilas da montanha, gorilas, chimpanzés e bonobos. Você também participará de difíceis, mas gratificantes caminhadas até os vulcões Muhavura e Gahinga.

Navegue Pela Costa Rica (Costa Rica)

O Vale Pacuare e a Península Ossa são as poucas rotas que vão das terras mais densas para sua deslumbrante costa. Durante duas semanas, você vai participar de uma expedição e navegar de caiaque por este caminho. No trajeto, você terá a oportunidade de passar um tempo, vivendo e aprendendo com os índios Cabecar.

O Corredor de Wakhan (Paquistão, Tajiquistão e Quirguistão)

O Corredor Wakhan é uma pequena faixa de terra com cerca de 140 milhas de comprimento e apenas 10 milhas de largura. Entre montanhas do Paquistão e Tajiquistão em ambos os lados, ele atua como uma rota terrestre entre o Afeganistão e a China. A área é tão remota que o povo indígena do Quirguistão, pastores de iaques e cabras, foram deixados à própria sorte por décadas. Esta parte do mundo viu menos visitantes do que o Monte Everest, entre aqueles que tiveram a sorte de visitar a área estão incluídos Genghis Khan, Alexandre o Grande e Marco Polo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

10 Dicas Importantes Antes de Viajar

1 – VERIFICAR QUAL É A MELHOR ÉPOCA PARA O SEU DESTINO.

Antes de escolher um destino… verifique a época que vc pretende viajar. Não tem nada pior do que passar as férias debaixo de chuva, como no caso de vc querer ir para a Tailândia na época das monções (de maio até o final de outubro), ou pegar o calor insuportável do verão de Roma. Para evitar esse transtorno, verifique antes no site www.weather.com que apresenta a média de temperatura e os índices pluviométricos de cada destino.

Outra dica é evitar altas temporadas, quando os preços são mais altos e os lugares ficam apinhados de gente.

2 – ADAPTADOR UNIVERSAL DE TOMADAS.

Essa é a primeira coisa que vc deve pensar em colocar na sua mala. Muitos países possuem tomadas diferentes das nossas e vc não vai querer ficar sem recarregar as baterias de sua câmera, smartphone e laptop.

3 – LEVAR 2 CARTÕES DE CRÉDITO, NO MÍNIMO.

Independente de vc estar portando muito ou pouco dinheiro em espécie, na hora de fazer o check-in nos hotéis ou caso precise alugar um carro, vc vai sempre precisar do cartão de crédito, de outra forma eles não aceitam. É uma segurança que eles têm. E leve no mínimo 2 cartões (de diferentes bandeiras) e não esqueça de desbloqueá-los antes de sair do país.

4 – KIT DE REMÉDIOS COMPLETO

Não esqueça de fazer aquela maleta de remédios bem completa. E nela não pode faltar: remédios para alergia (lembre-se que vc está num lugar estranho e que muitas vezes pode ingerir alimentos que o seu organismo pode rejeitar); Em caso de barco, remédios para mareado (usamos o Stugeron, que é para labirintite e evita ficar enjoado e Vonau – caso já esteja enjoado); Em caso de altitude (usamos o Diamox que a princípio é para glaucoma… mas funciona muito bem para a adaptação do seu organismo nas grandes altitudes); Remédios para gripes, resfriados, febres e dores de cabeça; Band-aid, principalmente se for caminhar muito, ajuda a evitar bolhas nos pés; Remédios para problemas crônicos (cada um sabe o seu); E se vc estiver tomando alguma medicação de tarja-preta é sempre bom levar um atestado do seu médico em inglês… caso alguém venha implicar com vc nos aeroportos. Estamos sugerindo alguns nomes de medicações aqui, mas não se esqueça de consultar um médico antes, ok?

5 – NÃO LEVAR MUITA COISA NA MALA.

Uma mala muito pesada, além de ser um transtorno para carregar, vc geralmente não usará metade das coisas que vai levar. A dica é… quando estiver preparando a sua mala e achar que ela já está pronta… pegue metade das coisas e guarde de volta no armário. Assim sobra espaço para vc trazer algumas bugigangas de lembrança e vc não corre o risco de pagar por excesso de peso.

6 – VIAJE E DESFRUTE COM CALMA.

Não adianta vc querer conhecer 10 países em 15 dias, é loucura… é enfado. Sempre que planejar um roteiro, fique atento se vc está ficando a quantidade de dias suficientes para poder conhecer cada lugar com calma, sem estresse… lembre-se, vc está de férias e precisa relaxar.

7 – IR PARA LUGARES DIFERENTES.

Sabemos que as férias são suas e vc tem o direito de escolher para aonde quer ir. Mas pense com carinho… vc vai mesmo querer ir pela vigésima vez para Miami, Cancún ou Buenos Aires? O mundo é imenso… hj em dia, praticamente todos os países são abertos para o turismo e possuem fantásticas atrações, cultura e sabores para conhecermos. Pense que vc vai ter histórias novas de lugares que ninguém ainda foi… vale a pena.

8 – FAZER UM ROTEIRO DETALHADO E RESERVAR COM ANTECEDÊNCIA.

Essa dica é muito pessoal… e vai de cada um escolher o que prefere. Existem pessoas que gostam de se aventurar e não reservam nada e nem planejam um roteiro… se vc estiver nessa vibe (o que pode ser bem legal) vai ser um experiência bacana, mas vc provavelmente passará por alguns “perrengues” e perderá bastante tempo, procurando lugar para se hospedar, passagens para outros destinos, etc. Quando vc já sai de casa planejado e com tudo reservado (passagens, hotéis, transfers, aluguel de carro, passeios, etc) além de vc não perder tempo (que é o mais importante, pois cada dia é precioso nas férias) vc também poderá economizar… comprando passagens aéreas com bastante antecedência, por exemplo.

9 – APRENDA A FALAR ALGUMAS PALAVRAS “CHAVE” NA LÍNGUA LOCAL.

Um “muito obrigado, “até logo”, “com licença” sempre ajuda em qualquer ocasião.

10 – OUTRAS PRECAUÇÕES.

Antes de viajar vale lembrar… seu passaporte e vistos estão em dia? Fez seguro saúde? O local para onde vc vai precisa de vacina para febre amarela (lembre-se de tomar com 10 dias de antecedência) ou tem risco de malária (que não tem vacina mas existem meios de profilaxia)? Está levando roupas adequadas e equipamentos adequados? Está levando dinheiro suficiente? Tudo isso a gente tem que ter em mente antes de sair para uma viagem.

 

Cusco – Peru

DICAS BÁSICAS DE CUSCO

  • Mal de Altitude / Soroche – Cusco fica a 3.400 metros de altitude. E se vc estiver vindo de um lugar que possua altitude inferior a essa, deve seguir uma porção de recomendações para ter uma viagem prazerosa (sem enjôos, dores de cabeça, diarréia e até mesmo doenças que podem levar à morte, como edema pulmonar e cerebral). Portanto para a aclimatação o mais importante é que no primeiro dia, até mesmo antes de desfazer as malas, vc se deite por pelo menos 2 horas, que você evite qualquer tipo de esforço físico, masque as folhas e tome o chá de coca e de maneira nenhuma ingira álcool (que desidrata) ou comida pesada (como carne vermelha, por exemplo).  Para os demais dias também recomendamos não ingerir álcool e comida pesada, e sempre após as refeições tomar um comprimido de Digeplus (ou algo semelhante) para ajudar na digestão, que costuma ficar bem mais lenta por causa da altitude. Carregue com vc sempre Aspirinas (ou outros remédios para dor de cabeça) para qualquer eventualidade e sempre esteja mascando folhas de coca e tomando o chá. Existe também um ótimo remédio que ajuda muito chamado Diamox (a princípio recomendado para o Glaucoma) ele também ajuda na “aceleração” do processo de aclimatação… deve-se tomar no dia anterior a viagem e pelo menos nos 3 primeiros dias de viagem, consulte um médico antes para ver se vc possui algum tipo de restrição. Tomamos o Diamox e foi realmente incrível… não sentimos nenhum efeito da altitude, com exceção do cansaço nas atividades físicas, que é praticamente impossível de não ter.
  • Clima – O clima de Cusco é dividido em 2 estações: a seca, que vai de Abril até Outubro, com dias ensolarados e com baixa precipitação. E a estação chuvosa que vai de Novembro a Março, sendo os meses mais chuvosos entre Dezembro e Fevereiro. Nos meses de calor a temperatura máxima chega a 20º C e nos meses de frio a temperatura mínima pode chegar a 0ºC, mas geralmente não neva em Cusco. Portanto, a melhor época para ir é a seca, como todos nós sabemos… a chuva estraga qualquer viagem.
  • Gastronomia – Lima (capital do Peru) se tornou nos últimos tempos a capital gastronômica da América Latina e isso se refletiu também em Cusco, por ser a principal cidade turística do país. Lá vc vai encontrar excelentes restaurantes… onde poderá provar deliciosos pratos peruanos como o Cuy (aqui no Brasil, conhecido como porquinho da Índia), Alpaca (que é uma espécie de lhama), milhos coloridos e gigantes e provar a bebida local – Pisco (não exagere, por causa da altitude, lembra?).
  • 24 de Dezembro – Demos a sorte de estar presente em Cusco no dia 24 de Dezembro, que é o único dia do ano em que há uma grande feira livre, que toma toda a Plaza de Armas. Lá vc poderá comprar diversos tipos de badulaques, tais quais tocas, ponchos, roupas em geral, ervas, arte local, etc… tudo a preço de banana. Tb poderá assistir à apresentações de música, dança e comer tranqueiras nas barraquinhas.
  • Plaza de Armas – É a praça onde se localiza o centro histórico da cidade, com igrejas, bons restaurantes, galerias de arte, mercados de artesanato e ruelas em que o legal é se perder por elas… vc sempre descobre coisas novas e interessantes.
  • Museu Inka – Reúne uma coleção de Keros (vasos cerimoniais esculpidos em madeira), têxteis, múmias (p/ nós a parte mais bacana) e ídolos de ouro e prata maciça, bem como armas, ferramentas e cerâmicas Inca. Vc irá perceber que o museu é pequeno, pois a maior parte dos tesouros Incas foram roubados na época das invasões espanholas e estão espalhados pelo mundo afora. Pena.
  • Pedra dos 12 Ângulos – Um dos principais atrativos da cidade de Cusco são os muros de pedras Incas… com encaixes perfeitos e o exemplo máximo dessa perfeição é uma pedra com 12 ângulos perfeitamente encaixados nas demais. A atração fica na Calle Hatum Rumiyoc… só tome cuidado com os locais em volta, que como quem não quer nada, dão informações sobre a pedra em troca de dinheiro.
  • Tambomachay – É um sítio arqueológico localizado próximo a Cusco. Era destinado ao culto às águas e para que o chefe do império Inca pudesse descansar. Lá vc contemplará uma série de aquedutos, canais e cascatas de água que correm pelas rochas. Antes de chegar ao sítio verá algumas lhamas e carneiros.
  • Saqsaywaman – Supõe-se que foi construída originalmente com propósitos militares para defender-se de tribos invasoras que ameaçavam o império Inca. Possui pedras gigantescas que pesam toneladas. Em Sacsaihuaman se realiza, em 24 de Junho, no solstício de inverno, o festival anual de Inti Raymi onde se representa o ritual incaico de culto ao “deus sol”. As pessoas do lugar se mobilizam com fantasias coloridas e realizam danças típicas repetindo assim a tradição de seus antepassados. A esta festa chegam visitantes de todo o mundo que reservam seus lugares com muita antecipação.
  • Lugar onde se alimentam as lhamas – Provavelmente, no tour que te levará ao Vale Sagrado, a primeira parada será num lugar onde se alimentam as lhamas, alpacas, guanacos e vicunhas (todos parentes), é bem divertido. Você também irá ver as mulheres que trabalham na tecelagem com roupas típicas e aprenderá um pouco sobre os milhos e temperos da região.
  • Mercadão – Ainda no caminho para o Vale Sagrado, vc irá parar numa enorme feira livre… aquelas prontas p/ pegar turistas. Lá também existe um mercado que vende prata e eles te mostram como as “jóias” são feitas. Lá vc também poderá provar as deliciosas empanadas locais, vale a pena.
  • Vale Sagrado / Ollantaytambo e Pisac – Essa obra monumental da arquitetura Inca constituía um complexo militar, religioso, agrícola e administrativo. Ainda hoje moram descendentes dos Incas na região. Bastante bonito o lugar.
  • Aguascalientes – É a cidade que fica na base das montanhas de Machu Picchu, beirando o Rio Urubamba. Cheia de hotéis, hostels, restaurantes, bares e lojas. É de lá também que saí o ônibus que te leva até em cima da montanha… para os mais aventureiros, existe a possibilidade de subir a pé.
  • Machu Picchu – Também conhecida como “A Cidade Perdida dos Incas”, esse Patrimônio Mundial da UNESCO e também reconhecida como umas das 7 Novas Maravilhas do Mundo, é o principal motivo que leva as pessoas para Cusco. Localizada no Vale do Rio Urubamba, o lugar é realmente lindo e mágico. Cheio de mistérios ainda não desvendados. Todos os anos as autoridades locais dizem que será o último ano que a cidade ficará aberta ao público… mas pelos guias locais e se pensarmos bem é apenas uma invenção para atrair cada vez mais turistas ao lugar, que é sem dúvida a principal fonte de renda da região. Uma dica preciosíssima – para não perder a graça de Tambomachay, Saqsaywaman, etc… deixe para visitar Machu Picchu por último, pois os outros sítios arqueológicos não são nada comparados a ele.

O “A MAIS” DE CUSCO

  • Caminho Inca – É uma das rotas de trekking mais famosas do mundo, pela conjunção de intrigantes sítios arqueológicos com as espetaculares paisagens que oferece ao viajante durante os dias de caminhada. Percorrer o Caminho Inca é a melhor maneira de conhecer a magia e os mistérios do lugar. O percurso começa no km 82 da ferrovia Cusco/Quillabamba, atravessa as montanhas acima da margem esquerda do rio Urubamba e chega até Machu Picchu depois de 4 dias de caminhada. Não vá sozinho… procure grupos especializados para fazer o trajeto junto com vc.
  • Waynapicchu ou Huaynapicchu – Aquela montanha mais alta que aparece ao fundo da mais clássica foto de Machu Picchu se chama Waynapicchu ou Huaynapicchu. Uma coisa que ninguém sabe é que se pode subir nela… e que seu acesso é restrito a 400 pessoas por dia, sendo metade as 7:00 am e a outra as 10:00 am. Vc deve comprar o ingresso com antecedência no site – machupicchu.gob.pe . Demora cerca de 1 hora p/ subir e 1 hora p/ descer. Prepare-se para uma subida árdua e sem muita segurança… vc deve até assinar um termo de responsabilidade antes. Leve roupas confortáveis, tênis e muita água. A vista é incrível.
  • Rafting no Rio Urubamba – Na época de seca você poderá fazer um fantástico rafting pelo famoso rio que desce dos Andes e serpenteia o Vale Sagrado e Machu Picchu, o Urubamba. Não fizemos por causa da época… mas com certeza deve ser, como muita coisa é descrita no Peru, mágico.

Torres del Paine

No carnaval de 2013 fomos para Torres del Paine por acidente. Estávamos com viagem marcada para o deserto do Atacama, desde novembro. Mas 2 dias antes de embarcarmos o improvável aconteceu… Num lugar onde a média de chuva é de 2mm/ano, caiu uma tempestade tão devastadora que bloqueou as estradas, deixou a cidade e o hotel onde iríamos ficar debaixo d’água, sem energia elétrica e água corrente. Nosso agente nos comunicou que nossa viagem estava cancelada. Mas, por muita sorte (se é que é ter sorte chover no deserto…rss) ele conseguiu, na sexta-feira de carnaval, mudar nossa trip para Torres del Paine, que é um lugar incrivelmente maravilhoso. Foi uma belíssima surpresa, pois não havíamos pesquisado absolutamente nada sobre o local… simplesmente embarcamos e deixamos as coisas acontecerem naturalmente. Torres del Paine faz parte da Patagônia chilena. Com paisagens cheias de montanhas, fauna (pumas, guanacos, raposas, carcarás, emas, etc), glaciais, etc.

DICAS BÁSICAS DE TORRES DEL PAINE

• Punta Arenas – Provavelmente, assim como nós, você irá dormir uma noite nesta cidade antes de chegar a Torres del Paine, que fica a 5 horas de estrada. A cidade é bem gostosa e segura, pode passear a noite à vontade.

• Puerto Natales – É a cidadezinha mais próxima de Torres del Paine. Caso você esteja com o orçamento baixo uma boa opção é se hospedar e fazer os passeios a partir de lá.

• Cerro Negro – Caso você se hospede no hotel Las Torres Patagonia, provavelmente, na ida de Punta Arenas até Torres del Paine, irá fazer uma parada na Estancia Cerro Negro. Lá eles irão te mostrar como se pastoreia ovelhas com os cães e como elas são tosquiadas. Você também irá conhecer o antigo casarão da estância com todos os móveis da época. E a família que mora lá vai preparar um delicioso cordeiro (assado na hora). Programa bem diferente, principalmente p/ paulistas que nem a gente, que nunca viu isso de perto.

• Hotel Las Torres – Esse hotel está localizado na base das montanhas que formam as Torres del Paine. É bem completo, tem até spa e todos os passeios são organizados pelos guias do próprio hotel. Também oferece o serviço all inclusive, que é impressindível, pois não existe nada ao redor do hotel, como restaurantes, etc – a menos que você queira acampar nas proximidades, o que é muito comum, principalmente p/ turistas gringos (suíços, alemães e todo esse povo acostumado com montanhas). O site do hotel é: www.lastorres.com

• Full Paine – É o passeio mais procurado no hotel. Ele dá uma visão geral da região… ótimo p/ quem não vai ficar lá por muitos dias. Te leva nas principais paisagens, no Glacial Grey e na cachoeira Salto Grande.

• Glacial Grey – É uma gigantesca formação de gelo, tipo um iceberg, mas presa na rocha. O passeio é feito de barco e você pode descer nas proximidades para acampar. Não é possível caminhar sobre o glacial, como é feito na Argentina.

• Lago Pehoe – Sem dúvida um dos lugares mais lindos que já estivemos. A paisagem é indescritível. Um lindo lago meio esmeralda, meio azul turquesa, rodeado das mais belas montanhas e com uma ilha no meio. Nesta ilha possui um hotel também.

O “A MAIS” DE TORRES DEL PAINE

• Las Torres (a cavalo) – É o passeio com o nível de dificuldade mais elevado da região. Você simplesmente vai subir, praticamente até o topo de uma das principais montanhas da região. O ideal é optar em fazer os primeiros 5km a cavalo, pois se não, fica quase impossível… depois, são mais 4km a pé sendo o último muito íngreme. A parte a cavalo é emocionante… você irá atravessar rios geladíssimos e beirar despenhadeiros. No final da jornada você será presenteado com um visual maravilhoso das Torres e de um lago no pico da montanha. Vale muito o esforço.

• Estreito de Magalhães – O Estreito de Magalhães é um canal que liga os oceanos Atlântico e Pacífico. E “parece” que em Punta Arenas existe um passeio de observação de baleias pelo canal. Não temos certeza absoluta disso. Mas, vale a pena dar uma conferida. Se realmente existir, deve ser bem legal.

• Safari do Puma – De todos os animais da região, o puma é sem dúvida um dos mais difíceis de serem vistos. A empresa Far South Expeditions e o hotel  Tierra Patagonia são especialistas neste tipo de safari fotográfico. Também não fizemos porque ficamos pouco tempo. Mas com certeza deve valer a pena. O site da empresa é www.fsexpeditions.com e do hotel é www.tierrapatagonia.com

Jericoacoara

Jericoacoara é um lindo vilarejo localizado a 1 hora de estrada de areia do município Jijoca de Jericoacoara, no estado do Ceará. Você também deverá percorrer uma distância de 300km da capital – Fortaleza. Mas toda essa dificuldade de acesso torna-se irrelevante quando você chega lá e se depara com tanta beleza e bom astral. A vila é formada por dunas, praias, lagoas, belíssimas pousadas, restaurantes e lojinhas bacanas. Muitos gringos também moram e passam as férias por lá, atraídos pelo forte vento que faz de Jeri uns dos melhores “points” de Kitesurf e Windsurf do mundo.

DICAS BÁSICAS DE JERICOACOARA

• Praia de Jericoacoara – É a praia que dá o nome ao local. De águas rasas e vento constante é muito procurada pelos praticantes de kite e windsurf. Aproveite as espreguiçadeiras dos bares ao redor para curtir a paisagem.

• Pedra Furada – Um dos mais famosos cartões postais de Jeri é uma formação rochosa com um buraco no centro. Está localizada em uma praia a 40 minutos de caminhada da vila. Você pode escolher ir por uma trilha ou pela praia (de acordo com a maré), caso você escolha pela praia, poderá se refrescar numa estreita piscina natural formada nas rochas.

• Praia Malhada – Está praia se encontra no meio do caminho entre a praia de Jericoacoara e a Pedra Furada. Boas ondas atraem os adeptos do surf.

• Duna do Pôr do Sol – Religiosamente toda vila caminha para o topo desta duna todos os dias para assistir ao pôr do Sol. É muito gostoso e assim como em Santorini (Grécia) quando o Sol se põe, todos aplaudem. Lá você também poderá descer de skibunda… super divertido.

• Passear a Noite na Vila – Depois de um dia de passeios, nada melhor do que tomar um banho e caminhar na vila. Tem muita coisa boa acontecendo: música ao vivo, bares, ótimos restaurantes, lojas e muita gente bonita e animada.

• Forró no Dona Amélia – A rua mais famosa da vila é conhecida como Rua do Forró. E é no restaurante Dona Amélia que o forró acontece, de quarta a sábado, bem de noite.

• Padaria Santo Antônio – Depois de toda a agitação da vida noturna de Jeri, todo o povo se dirige para essa padaria (que funciona das 2h às 8h da manhã). Lá você saboreará pão quente com queijo, nozes de coco, mel e banana saindo diretamente do forno.

• Restaurante Na Casa Dela – É o segundo melhor restaurante de Jeri. Comida regional e a decoração é demais. Não deixe de ir.

• Tomar sorvete no Gelato Grano – Bem no centrinho da vila. Ótimo sorvete ao estilo italiano.

• Tatajuba – O passeio de bugue até Tatajuba é bem gostoso… no caminho você para num mangue para ver cavalos marinhos, depois atravessa o Rio Guriu em balsas improvisadas, faz “skibunda” numa duna de 60 metros e conhece o vilarejo de Velha Tatajuba, que foi soterrado pela areia anos atrás e ouve essa história direto da boca de Dona Delmira (antiga moradora local). Chegando lá você fica relaxando na lagoa e almoça pescados fresquinhos das barracas locais. Dica: Se puder… vá fora de época, para evitar muita gente e farofada.

• Lagoa Azul e Lagoa do Paraíso – Outro passeio de bugue bem bacana. No caminho para as lagoas você irá conhecer a Árvore da Preguiça, que leva esse nome por causa que o forte vento fez ela crescer horizontalmente, deitada na areia. A primeira lagoa é a Azul… mais rústica e com passeio de jangada – na alta temporada é bem “farofada”. Já a lagoa do Paraíso é sem dúvida o lugar mais bonito de Jeri e você pode pedir para o guia te levar para um lugar mais “reservado”, longe das multidões. Lá existe as redes que ficam na água e um ótimo restaurante. Imperdível.

O “A MAIS” DE JERICOACOARA

• Restaurante Tamarindo – É o número 1 de Jeri. Além dos pratos regionais, frutos do mar… eles fazem uma pizza maravilhosa. Sempre muito cheio e com fila de espera… o ideal é deixar seu nome na lista e dar uma volta pela vila até dar o horário. Vale muito a pena.

• Aula de Kitesurf – Aproveite a oportunidade de aprender algo diferente. Na praia de Jericoacoara você pode ter aulas de kitesurf em um dos melhores lugares do mundo para isso. Aproveite!

Kapama – África do Sul

Quando se fala em safári na África do Sul pensa-se logo em Kruger Park. Mas na verdade… a melhor alternativa é procurar por reservas particulares. Nelas, por causa da boa estrutura, é mais fácil encontrar os Big 5’s (leão, elefante, búfalo, leopardo e rinoceronte) e muitos outros animais. Pois, você fica nas mãos dos “rangers” (farejadores de animais) que se comunicam o tempo todo por rádio, então se algum deles encontra alguma coisa interessante, logo avisa os outros e todos conseguem aproveitar o máximo. O Kapama é uma das melhores opções de reserva particular. Possui 4 hotéis (o Kapama River Lodge que é o mais bacana, com spa e tudo mais). Lá você fará 2 safáris diários: um bem cedinho e outro no final da tarde. É uma ótima aventura e você nunca mais sentirá graça em ir ao zoológico. Vai por nós!

DICAS BÁSICAS DO KAPAMA

• Malária – Quando estávamos pesquisando safáris nos deparamos com o problema da malária. É uma doença bem séria, transmitida por picada de mosquito e não existe vacina (como no caso da febre amarela). Fomos até o Centro de Apoio ao Viajante (no Hospital das Clínicas, aqui em São Paulo) e fomos informados que teríamos que usar um spray repelente bem forte – Exposis Extreme (próprio p/ mosquito da malária) e roupas compridas para evitar picadas. Existe também um remédio profiláxio… só que como a gente iria ficar menos de 10 dias em área de risco, os médicos nos disseram não valeria a pena, pois os efeitos colaterais são bem pesados (depressão, queda de cabelo, etc). Mas ao chegar ao Kapama fomos informados que a área era praticamente “malária free” e que eles nunca tinham ouvido falar de um caso da doença no local. Então… nenhum funcionário do hotel se protegia. Ficamos bem mais tranquilos, todavia usamos o repelente.

O “A MAIS” DO KAPAMA

• Massagem – Estávamos pensando no que colocar no “a mais” já que os passeios no Kapama são iguais para todo mundo. E não há nada de diferente para se fazer. Ao não ser… uma deliciosa massagem africana no spa do hotel. Entre um safári e outro é uma boa pedida. Recomendadíssima!